Ao longo de suas três primeiras edições, o Janela ganhou relevância nacional como iniciativa de fomento à produção de dramaturgias contemporâneas. 
Para sua quarta edição, a identidade visual deveria refletir o crescimento do evento, aprofundando seu diálogo com a cidade sob a perspectiva de “expandir as paisagens”.
A solução gráfica se organizou ao redor de registros de intervenções urbanas criadas pela Lampejo.Nessas intervenções, operários caracterizados demarcam recortes nas paisagens urbanas usando uma fita de sinalização amarela. Os interventores entram no jogo como personagens que expõem os processos de seleção e composição do exercício criativo, revelando tensões entre uma paisagem e o seu entorno, o que ela é capaz de delimitar e o que dela transborda.
Para a ambientação do evento, foi criada uma série de lambes que misturavam as técnicas de stencil e de serigrafia, resultando em uma coleção de cartazes únicos em sua composição.
Back to Top